Emergencia
espacoAtendimentos RegistradosespacoArmas ApreendidasespacoForagidos RecapturadosespacoVeículos RecuperadosespacoFale Conosco
 

 

 

 

Polícia Militar edita Diretriz Administrativa para casos de policiais militares envolvidos em ocorrência de violência doméstica

PMASFO Comandante Geral da Polícia Militar coronel PM  Ênedy Dias de Araújo, editou a Diretriz Administrativa nº 004/CORREGEPOM/2017, que estabelece os procedimentos administrativos diante de casos de envolvimento de policiais militares em ocorrências de violência doméstica e familiar contra a mulher. O corregedor geral da PM coronel Vanderley da Costa esteve reunido com lideranças parlamentares e representantes de associações para apresentar a Diretriz.

As medidas administrativas determinadas aos comandos, quando do registro de ocorrências deste tipo são as seguintes:

- Encaminhamento compulsório do policial militar a atendimento psicológico e de assistência social, solicitando pareceres de psicólogo/psiquiatra/assistente social, acerca da viabilidade da permanência momentânea na atividade operacional;

-Suspensão imediata da cautela de material bélico da Corporação que esteja sob a responsabilidade do policial-militar;

-Submissão do policial militar à instrução obrigatória sobre a Lei nº 11.340 de 07 de agosto de 2006- “ Lei Maria da Penha”, Decreto-Lei nº 09-A de 09 de março de 1982 no tocante as obrigações policiais militares e observância dos valores e ética policial militar;

- Afastamento temporário da atividade operacional até que o policial militar cumpra as determinações descritas nos itens citados acima;

- Instauração imediata de Sindicância Regular para apuração da ocorrência e posterior análise de instauração de Processo Administrativo Disciplinar.

PMASFAPOM

Em reunião com as associações representativas de policiais militares, no dia 10 de julho de 2017, o coronel PM Vanderley da Costa, Corregedor Geral, expôs a preocupação do comando com os vários registros e denúncias de crimes envolvendo policiais militares em casos de violência doméstica e familiar contra a mulher, e há necessidade urgente de que todos estejamos focados em reunir todas as ações legais possíveis para conscientizar a tropa das implicações a que estão sujeitos, bem dar encaminhamento aos que precisam de apoio psicológico e assistência social , tudo sem deixarmos de adotar as medidas administrativa de responsabilização aos responsáveis pelas agressões descritas na Lei nº 11340/2006- “Lei Maria da Penha”.

Além da edição da Diretriz Administrativa nº 04/CORREGEPOM/2017 ressaltou que a Corporação , através da Diretoria de Saúde irá encaminhar as Organizações Policiais Militares , um cronograma de palestras e atividades especificas sobre o tema, a ser obrigatória a presença a oficiais e praças; distribuição de folders explicativos sobre a Lei nº 11.340/2006 e postura da Corporação no enfrentamento dos casos, parcerias com outras instituições e órgãos públicos para apoio as vítimas, dentre outras ações. PMASFAA reunião teve a participação do deputado estadual Jesuino Boabaid, do teenente coronel PM Dentista Agnus Aécio de Meira Junior, Diretor de Saúde da Polícia Militar, , da vereadora  de Porto Velho  e presidente da ASSFAPOM- Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado, Ada Dantas, capitão PM  Washington Francisco, vice-presidente da ASSOF-Associação de Oficiais da PM e BM, subtenente PM RR Paulo Figueiredo, representando a ASPRA- Associação de Praças,  das psicólogas da Diretoria de Saúde: Tenente PM Thalita Tomazi, Alessandra Machado e Daiana Ferreira, da capitã PM Barbara Munhoz e soldado PM Jaqueline Barbosa, da Corregedoria Geral. 

Fotos Cecoms-PMRO

Jornalista Lenilson Guedes